Grupo tem três distribuidoras do país no Top 5 do último ranking da ANEEL

Por volta das 22h do dia 23 de outubro de 2021, um sábado, o eletricista Enilson Guilherme Júnior, de 29 anos, estava em casa com a família em Paraguaçu Paulista quando um súbito apagão deixou a cidade no escuro. Ocasionada pela forte tempestade que começara naquela noite, a queda de energia também impedia qualquer ligação de telefone ou internet. Munido de botas e um guarda-chuva, Enilson se dirigiu ao portão para tentar, em vão, o sinal do celular. Foi então surpreendido por uma moto que parou em frente à sua residência. Era um colega de trabalho pedindo para Enilson subir na garupa. O eletricista só voltaria para casa na noite de domingo.

O temporal havia deixado um rastro de destruição por diversas ruas de Paraguaçu Paulista. Árvores, placas e até fachadas de estabelecimentos comerciais foram derrubados, além dos mais de 200 postes que tombaram no chão. Começava, naquela madrugada, uma força-tarefa para restabelecer a eletricidade na região que duraria os próximos sete dias.

– Tivemos que refazer todas as linhas de distribuição de energia do zero. Recolocar a eletricidade na cidade como se ali nunca tivesse tido luz antes – recorda Enilson, que classificou o aguaceiro como o momento mais emblemático vivido por ele em oito anos de trabalho no Grupo Energisa. – A mobilização por profissionais vindos de várias áreas do país foi enorme. Veio gente até do Sergipe! Em uma semana, consertamos tudo.

A rapidez com que a cidade viu a energia ser restabelecida marcou Enilson. Fossem outros os tempos, o eletricista contou que o trabalho só teria sido concluído com, no mínimo, o dobro de tempo. A eficiência só foi possível por conta dos investimentos feitos pela Energisa ao longo dos quase oito anos de atuação na região (desde que Enilson começou a trabalhar para o Grupo), que ultrapassaram o montante de R$ 1 bilhão.

Todos os anos, a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) verifica, entre janeiro e dezembro do ano anterior, o chamado Desempenho Global de Continuidade (DGC). O estudo considera uma comparação entre a quantidade de horas e o número de vezes que o cliente ficou sem energia. Não à toa, de acordo com dados divulgados no último dia 15, a Energisa Sul-Sudeste possui o melhor DEC (Duração Equivalente de Interrupção por Consumidor) do Brasil entre as grandes empresas. Ou seja: os clientes atendidos pela distribuidora ficam menos tempo sem luz do que qualquer outra região do país.

Além de Sul e Sudeste, os números da ANEEL mostram que os serviços de distribuição de energia elétrica em Tocantins e na Paraíba também estão entre os melhores do Brasil. Isso significa que os tocantinenses e paraibanos têm um fornecimento de energia mais estável e com menos interrupções do que a maioria da população de outros estados brasileiros. O levantamento também revela que a quantidade de vezes em que a energia foi interrompida diminuiu. A informação faz parte do ranking de qualidade dos serviços realizado pela agência reguladora e que avaliou os serviços prestados pelas concessionárias de todo o país em 2021.

O Grupo Energisa teve nove de suas empresas entre as primeiras colocadas: na relação das concessionárias de grande porte (mais de 400 mil unidades consumidoras), sete empresas do Grupo estão entre as 12 melhores. Já entre as distribuidoras de pequeno porte, duas empresas do Grupo Energisa aparecem entre as oito melhores.

– Saímos do quinto lugar para o segundo do Brasil, mas digo que essa nossa medalha de prata tem sabor de ouro – comemora Lázaro Pinto da Costa, de 38 anos, supervisor de operações da Energisa Tocantins, que atende a aproximadamente 633 mil clientes, distribuídos pelos 139 municípios tocantinenses. — Tenho orgulho de falar isso, porque quando ainda não éramos uma empresa do Grupo Energisa, o indicador de resultado era muito ruim. Foi impressionante a mudança.

Há 13 anos no Grupo, ele credita o ótimo resultado à dedicação incansável dos profissionais que atuam no dia-a-dia da região, além dos constantes investimentos da Energisa: ao longo dos quase oito anos de atuação no estado, o montante destinado ao estado já soma mais de R$ 2 bilhões. Para 2022, a concessionária pretende investir R$ 364,7 milhões no Tocantins, quantia que é cerca de 50% superior à cifra de 2021.

– Temos tecnologia, equipamentos de ponta, as melhores ferramentas, participação nos lucros e cursos à nossa disposição. Isso faz a diferença – explica Lázaro.

Para o diretor Técnico e Comercial da Energisa Tocantins, Guilherme Damiance, outro ponto fundamental para a melhoria da qualidade dos serviços são as equipes que estão nas ruas cuidando para que os clientes não fiquem sem energia elétrica.

– Hoje, temos cerca de 1.400 colaboradores próprios, espalhados por todo o estado e, sem dúvida alguma, o compromisso de cada um deles faz toda a diferença nos nossos resultados e entregas aos tocantinenses. Essa conquista é mérito e um reconhecimento ao trabalho de cada um – afirma.

O eletricista paraibano Cícero Ferreira, de 38 anos, também há 13 anos no grupo, reforça a importância do empenho de cada profissional no resultado do ranking da ANEEL:

– Somos estimulados a dar o nosso melhor e a fazer muito bem feito no primeiro atendimento a cada cliente. Isso faz com que as ocorrências de novas chamadas caiam bastante, porque o trabalho foi bem executado logo no início – observa.

Cícero conta que a prova de que procura fazer seu serviço com a mais alta qualidade está representada num episódio do qual ele nunca esqueceu: foi fazer um corte de energia de um rapaz por falta de pagamento e, findo o desligamento, o morador o agradeceu.

– Eu nunca vi isso na minha vida. Ele me agradeceu por ter explicado de forma muito profissional o motivo do corte e, de maneira sensível à situação, a melhor forma para que a gente voltasse a ligar a luz. Falei que tudo que a empresa quer é que ele tenha energia todos os dias. E tudo que eu quero também. Até acendo vela e rezo por alguns clientes que estão numa situação delicada e não conseguiram pagar a conta naquele mês. Acho que esse cuidado é importante.