Recursos proporcionaram modernização do sistema e energia limpa e de qualidade

Até o fim de 2022, o município de Teixeirópolis terá recebido cerca de R$ 5 milhões em investimentos da Energisa para novas ligações, expansão e modernização da rede elétrica. Os investimentos começaram em outubro de 2018, quando a empresa assumiu a concessão. Só este ano, serão mais de R$ 3 milhões. As iniciativas já passaram por várias fases, de ações emergenciais a grandes obras de infraestrutura, passando por projetos para ampliar o acesso à energia e melhorar a experiência do cliente. 

Segundo André Theobald, diretor presidente da concessionária, os primeiros três anos foram focados na transformação da infraestrutura energética, para melhorar a qualidade e a confiabilidade no sistema. “Os projetos de 2022 serão uma nova fase para resolver problemas históricos e ampliar a oferta de energia”, afirma, frisando que, em todo estado, serão R$ 742 milhões, metade dos quais destinados à expansão e novas ligações

Manutenção preventiva 

Uma das principais frentes de atuação da Energisa são as manutenções preventivas, também chamadas de desligamentos programados porque parte dos serviços, como podas e trocas de equipamentos, por segurança, precisam ser feitos com a rede desligada. 

Em 2021, foram 30 manutenções preventivas realizadas em Teixeirópolis que resultaram na melhoria de 36% da qualidade de energia, comparando os indicadores de 2021 com 2019. Os índices estão dentro das metal da Aneel, órgão regulador do setor, que estabelece parâmetros de qualidade. 

O diretor frisa que episódios de falta de energia podem ocorrer, provocadas por fatores climáticos, acidentes de trânsito e até intervenções indevidas na rede. A modernização do sistema, o aumento no número das equipes e as manutenções preventivas contribuem para que o fornecimento seja retomado no menor tempo possível, atingindo o menor número de clientes. 

“Nas áreas urbanas, onde há grandes concentrações de clientes, tecnologia e automatização das redes possibilita que façamos manobras para reduzir o impacto das ocorrências. Mas para o interior, o acesso as localidades ainda é um desafio, mas aumentamos o número de equipes, temos uma frota mais adequada para a realidade do nosso estado”, explica.