Principais frentes de investimento são obras para expansão da rede e melhoria da qualidade

A Energisa Mato Grosso realizará investimentos de R$ 575 milhões este ano na área de concessão da distribuidora. O valor segue a linha dos anos anteriores continuando o planejamento de fortes investimentos para contribuir com o desenvolvimento econômico e social do estado. Para 2021, a maior parte da alocação dos recursos na distribuição será direcionada à construção e manutenção de subestações, linhas e redes; à ampliação do atendimento aos clientes, com foco na universalização através do programa Luz para Todos e Mais Luz para a Amazônia; ao combate ao furto de energia; à renovação das frotas e às obras de melhoria da qualidade do fornecimento.

Em 2021, a Energisa planeja realizar diversas obras na região que vão contribuir para a melhoria e a ampliação do fornecimento de energia em Mato Grosso, como o início das obras da rede de distribuição que permitirá que Guariba, distrito de Colniza, passe a ser parte do Sistema Interligado Nacional (SIN), as últimas ligações do Luz para Todos no estado, modernização de subestações (entre elas Rondonópolis, Sorriso, Campo Novo do Parecis, Colíder e Sinop), ligações do projeto Mais Luz para a Amazônia, entre outros.

“Temos trabalhado com afinco para que todos os mato-grossenses tenham energia em suas casas, e com mais qualidade. Há quatro anos mais de 20 mil famílias aguardavam a energia chegar em suas casas. Agora temos menos de duas mil famílias aguardando para que esse sonho seja realizado e faremos isso prioritariamente esse ano”, explica Riberto José Barbanera, diretor-presidente da Energisa Mato Grosso.

Os investimentos constantes na rede de distribuição de energia elétrica em Mato Grosso têm trazido resultados diretos para os clientes. No ano passado, o estado teve o menor DEC (Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora) de sua história por três meses consecutivos. O DEC (indicador que aponta quanto tempo em média um cliente fica sem energia em sua casa) teve uma redução de 8,58 horas em 2020 – uma redução de 27% em relação ao período anterior – e o FEC (que mede quantas vezes em média ocorre a interrupção de energia a cada cliente) teve uma redução de 2,44 vezes, o que representa uma melhora de 21%. Na prática, isso significa que, em média, as interrupções de energia aconteceram em menor quantidade e, quando aconteceram, duraram menos tempo.

A prioridade da empresa é oferecer um serviço cada vez melhor aos clientes, garantindo uma oferta de energia permanente e segura e levando bem-estar à população. Desta forma, a empresa se mantém como vetor para o desenvolvimento econômico e social da região. “Com mais de 900 mil quilômetros quadrados e mais de três milhões de pessoas, Mato Grosso não para de crescer e a rede elétrica precisa acompanhar esse ritmo. Planejamos os investimentos para dar ao estado a estrutura necessária para manter seu desenvolvimento econômico e social e vamos continuar fazendo estes investimentos para que a população de Mato Grosso tenha energia com qualidade e para que novas empresas venham investir no Estado”, ressalta Riberto.

Ao todo, o Grupo Energisa, maior empresa privada de capital nacional do setor elétrico brasileiro, prevê investimentos de R$ 3,9 bilhões para este ano, sendo R$ 2,8 bilhões destinados às concessionárias de energia, R$ 833,8 milhões aos empreendimentos de transmissão e R$ 214,8 milhões aos serviços 4D.  “A Energisa vem se consolidando como uma empresa completa de energia. Para isso, desempenha um papel primordial na transição para a economia de baixo carbono e para uma matriz energética limpa, com forte atuação para o desenvolvimento sustentável em seis estados da Amazônia Legal onde pretende investir R$ 2,6 bilhões”, afirma Maurício Botelho, CFO do Grupo Energisa.

Responsabilidade social

A Energisa patrocina e apoia diversas iniciativas que valorizam o desenvolvimento socioeconômico, ambiental e cultural da região onde atua. Estes projetos buscam impulsionar o desenvolvimento econômico, regional e social das comunidades, contribuindo para o estímulo e acessibilidade ao lazer, ao esporte e à cultura. Os recursos destinados aos projetos em Mato Grosso chegarão a R$ 1,360 milhão, aproximadamente. A soma se refere a propostas aprovadas em dezembro de 2020 e que serão executadas durante este ano. O valor é superior ao destinado pela Energisa em 2019 com aplicação em 2020 – cerca de R$ 1 milhão. Parte do valor vem de recursos próprios. Outra fatia é proveniente da renúncia fiscal – por exemplo, de uma fatia do Imposto de Renda (IR), do Fundo Municipal da Infância e Adolescência (FIA) e o Fundo Municipal do Idoso. Entre os projetos apoiados pela empresa estão o Instituto Vicente Lenílson, o Inclusão Literária, o Flor Ribeirinha e o Volêi Kids.

Em 2020, a Energisa investiu em ações de combate à pandemia de Covid-19 por meio do movimento Energia do Bem. As iniciativas englobam um conjunto de ações humanitárias que incluem doação e manutenção de ventiladores pulmonares, distribuição de máscaras para hospitais e comunidades indígenas, obras elétricas em unidades públicas de saúde, captação de recursos para assistência a idosos e apoio a pequenos artistas e empreendedores.

Outros investimentos do Grupo

Em transmissão, os investimentos previstos do Grupo Energisa serão 172% maiores. Os projetos desenvolvidos no Pará e Tocantins entrarão em fase de conclusão. Além dos recursos já alocados, a Energisa somará o investimento nos ativos adquiridos no último leilão de transmissão no Amazonas, realizado em dezembro do ano passado.

Cabe destacar a ampliação dos investimentos relacionados aos serviços 4D da Energisa – descarbonizados, descentralizados, digitalizados e diversificados – através de suas divisões Alsol e Energisa Soluções, que serão 350% maior do que em 2020.  O foco crescente em serviços baseados em tecnologia, com forte componente de sustentabilidade e energia renovável é uma das apostas do Grupo para os próximos anos.