(re)energisa agrupa forças para criar uma plataforma de soluções diversificadas com foco na economia de baixo carbono

É apostando no futuro que a Energisa transforma o presente. Por isso, nesta quarta-feira (23), o Grupo que há 117 anos olha para frente em busca das melhores soluções energéticas, apresenta sua nova marca: a (re)energisa, resultado da união das atuais Alsol Energias Renováveis, Energisa Comercializadora e Energisa Soluções.  A nova marca concentra empreendimentos de energia a partir de fontes renováveis (como solar, eólica e biomassa, com menor emissão de poluentes), comercialização de energia no mercado livre, além de serviços de valor agregado, promovendo redução de custos dos clientes através de gestão do melhor uso da energia. A estratégia da (re)energisa é protagonizar a transição energética com foco na economia de baixo carbono. 

O objetivo é facilitar a vida do cliente – em todo o território nacional, seja na cidade ou no campo — através da diversificação dos negócios para além da distribuição de energia elétrica, dentro do conceito one-stop-shop, ou seja: oferecer todas as soluções em um só lugar.

– Estamos construindo uma revolução na forma como nosso cliente poderá consumir energia – anuncia a executiva Roberta Godói, vice-presidente de Soluções Energéticas do Grupo Energisa e líder da (re)energisa. – Para isso, partimos de três pilares: geração distribuída e tecnologias de armazenamento por baterias; comercialização de energia no mercado livre e serviços energéticos de valor agregado.

Colaboradora em frente a usina de geração solar, apresentando a (re)energisa, nova marca do Grupo Energisa.
Roberta Godoi, vice-presidente de Soluções Energéticas do Grupo Energisa e líder da (re)energisa

Uma das principais vertentes da nova empresa do grupo é a produção de energia renovável na modalidade distribuída, em usinas com potência de até 5 megawatts (MW). Só em energia solar, o Grupo Energisa pretende investir cerca de R$ 2,3 bilhões até 2024 na construção de mais de 150 usinas fotovoltaicas espalhadas pelo Brasil, o que equivale à inauguração de uma nova usina a cada semana, por três anos.

A meta é ampliar a base atual de clientes de 2 mil pequenas e médias empresas para cerca de 10 mil até 2024. Ainda na geração distribuída, a (re)energisa pretende agregar o promissor mercado de diversificação de fontes para o biogás.

Como adianta Roberta, também faz parte da nova estratégia promover avanços significativos na comercialização de energia no mercado livre. Os investimentos da Energisa em geração centralizada vão possibilitar a ampliação da oferta de energia renovável e, com isso, a pretensão é sair dos atuais 2% de market share para 12% até 2026. A integração dos serviços em uma plataforma única viabiliza uma melhor oferta ao cliente final, já que irá combinar soluções de geração centralizada e descentralizada. 

A respeito dos serviços de valor energético agregado, esta é uma área com boas oportunidades de inovação. A (re)energisa já nasce com experiência em operação e manutenção de ativos elétricos, industriais, implantação e operação de sistemas on-grid ou off-grid, combinando fontes de energia com armazenamento em baterias de lítio e projetos de eficiência energética, entre outros. Neste momento, a (re)energisa está, por exemplo, em teste com uma solução de manutenção de usinas fotovoltaicas por meio de um robô que reduz custos e aumenta a longevidade das placas solares.

– O lançamento da (re)energisa vem em meio a uma visão da Energisa de que o setor elétrico passará por mudanças aceleradas no médio e longo prazo, o que deverá impactar os modelos de negócio das concessionárias. Nesse sentido, estamos dando um importante passo na consolidação do grupo, oferecendo um ecossistema de soluções – explica Roberta.

A nova marca vai ao encontro da estratégia do Grupo de ser protagonista na transição energética no Brasil, conectando empresas e pessoas à melhor solução energética para a construção de um mundo mais sustentável.

Para saber mais sobre a (re)energisa, acesse: www.reenergisa.com.br