Inovação, tecnologia e melhorias de processo permitem realizar obras e os clientes continuarem com energia

Números da Energisa Mato Grosso mostram que a duração média dos desligamentos programados, aqueles realizados para melhorias e manutenção do sistema, teve redução de 50% em 2020 ao fazer a comparação com ano anterior (2019). Essa redução  foi possibilitada pela adoção de tecnologias e equipamentos que permitem a realização de boa parte dos serviços sem o desligamento da rede. Atualmente, há desligamentos que chegam a durar menos de uma hora e em alguns casos que sequer se faz necessário desligar a energia do cliente, com as equipes trabalhando com a rede ligada, serviço conhecido como Linha Viva.

“É fundamental a realização de obras e manutenções para manter o sistema em operação de forma confiável e segura. Mas ao mesmo tempo que precisamos fazer esses serviços, pensamos no nosso cliente que será impactado. Dessa forma estamos sempre buscando métodos, alternativas, equipamentos e tecnologias para minimizar esses impactos. Prova disso é que a duração média dos desligamentos reduziu. Mas é muito importante que todos saibam que os desligamentos programados são realizados porque estamos trabalhando para melhorar a qualidade dos serviços”, explica Thiago Martins, gerente de Operação do Sistema da Energisa Mato Grosso.

Rede de energia x carro: acreditem, há semelhanças

Quem é cuidadoso sabe: carros sempre devem passar por manutenção, antes mesmo de algo pior acontecer. Com a energia elétrica é a mesma coisa. Todos os dias, nos 141 municípios mato-grossenses onde a Energisa atua, manutenções preventivas são realizadas para que o cliente não fique sem energia elétrica segura e de qualidade.

Para garantir uma maior qualidade no fornecimento de energia aos seus clientes, assim como acompanhar o desenvolvimento populacional, serviços, agronegócio e indústrias, a Energisa realiza constantemente obras e reparos no sistema elétrico que, por questões técnicas, algumas vezes necessitam de desligamentos programados. Essas suspensões temporárias são necessárias para que sejam executadas as melhorias na rede elétrica de forma segura.

Quando ocorre esse tipo de interrupção no fornecimento de energia, os clientes são previamente comunicados, a fim de que possam se programar para o intervalo em que a rede elétrica estará desligada. A Energisa informa quando necessitará interromper o fornecimento de energia com pelo menos 72 horas de antecedência por meio do site, de cartas, avisos em rádios e carros de som.

“Os desligamentos programados acontecem com hora marcada e previsão de finalização também determinada, envolvendo uma região específica onde a obra será realizada. Além de melhorias na rede elétrica, assegurando o conforto de nossos clientes, o desligamento também serve para dar segurança ao colaborador em campo durante a atuação”, explica Roger Gissoni, gerente de Construção e Manutenção da Energisa Mato Grosso.

Obras com rede ligada: realidade em MT 

Roger reforça que a empresa está investindo na modernização constante do sistema elétrico e buscando formas mais eficientes de executar as obras e manutenções, que estão ajudando a diminuir a necessidade de desligamentos programados.

“Para minimizar o impacto dos desligamentos, a Energisa adota tecnologias e equipamentos que permitem a realização do serviço sem o desligamento da rede, como utilização de mega jumper (dispositivo que permite o isolamento de um trecho da rede elétrica),  manobras automatizadas/remotas para transferência de carga, manutenção em rede energizada pela equipe de Linha Viva, entre outros equipamentos e tecnologias como o seccionador de rede”, comenta Roger.

Para a execução dos serviços chamados de Linha Viva, os profissionais passam por diversos treinamentos que os preparam para atuarem com a rede elétrica energizada por meio da utilização de equipamentos específicos e capazes de protegê-los.

Gissoni ressalta que, além de todas as capacitações e reciclagens que os colaboradores precisam realizar, todos atuam com Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e são treinados para fazer a inspeção dos mesmos: luva, capacete, óculos, uniforme da concessionária, bota e a balaclava, antichama. “Isso é necessário e indispensável para nossos eletricistas, especialmente de Linha Viva, que operam em redes de tensão energizada”, reforça o gerente.